Assine nossa newsletter

O que é a serotonina e como ela age no nosso corpo?

Ilustração do cérebro com smiles

Como você se sente ultimamente? Com foco, disposição e bom humor? Se a resposta for sim, é provável que a serotonina esteja em alta por aí.

Essa substância química atua em diversas funções do organismo e é associada à sensação de bem-estar. 

O que é a serotonina?

Muitas vezes chamada de “hormônio da felicidade”, “do amor” ou “do prazer”, a serotonina é um neurotransmissor que desempenha papel fundamental na manutenção do equilíbrio do corpo (a chamada homeostase). 

Ela ajuda a regular o comportamento, a atenção, a memória, o humor, o apetite e o gasto de energia. Também favorece a absorção e o armazenamento de nutrientes, além de colaborar com o controle dos movimentos intestinais e com o fortalecimento ósseo. 

No processo de coagulação do sangue, as plaquetas liberam serotonina para que pequenas artérias se estreitem, ajudando a formar os coágulos sanguíneos que curam as feridas.

Também é atribuída à serotonina a função de estimular as partes do cérebro que controlam o sono e a vigília (período em que estamos acordados). 

Além disso, a substância é capaz de reduzir ou aumentar o desejo sexual, dependendo de sua concentração no organismo. 

Essas múltiplas funções despertam bastante interesse da comunidade científica, sobretudo porque a serotonina pode ser útil no tratamento de ansiedade e de depressão. Diversos estudos relacionam esses estados emocionais a níveis baixos de serotonina no cérebro.  

Triptofano: serve para quê?

A maior concentração de serotonina está nas células do trato gastrointestinal (95%), com pequenas quantidades no sistema nervoso central e nas plaquetas do sangue.

Nos mamíferos, a síntese de serotonina tem ação do triptofano, aminoácido essencial encontrado em muitos alimentos à base de proteínas, incluindo carnes e laticínios, e também em frutas e sementes. 

Por isso, é muito importante ter uma dieta balanceada que contenha alimentos ricos nesse aminoácido.

Entre os alimentos com grande concentração de triptofano estão frango, ovos, queijo, peixe, amendoim, sementes de abóbora e de gergelim, leite, peru, tofu e soja. 

O chocolate também é rico nesse elemento. Quanto mais escuro, maior a quantidade de cacau e triptofano contido. 

Mas não adianta exagerar no consumo de chocolate nem de outros alimentos ricos em triptofano com a intenção de produzir mais serotonina. Apenas 3% do triptofano da dieta é usado para a síntese de serotonina em todo o corpo e somente 1% seja usado para a síntese de serotonina no cérebro –o restante é utilizado em outros processos bioquímicos. 

Como aumentar a serotonina

A herança genética é considerada o fator mais importante para a produção de serotonina, mas cientistas acreditam que algumas estratégias podem ser usadas para aumentar esse neurotransmissor no organismo.

Ilustração de jogo de dardos, com smile no centro

Alguns estudos sugerem incluir probióticos (bactérias intestinais) na dieta. Acredita-se que o intestino e o cérebro possuem uma relação de parceria, por meio de sinalização bioquímica entre o sistema nervoso no trato digestivo. Ao ajudarem na regulação da microbiota intestinal, essas bactérias favoreceriam a atuação da serotonina nas duas regiões. 

Outra forma de estimular a produção de serotonina está na exposição ao sol. Um experimento envolvendo voluntários no Canadá constatou o efeito da redução do contato com a luz natural no inverno em biomarcadores de serotonina no cérebro. A queda no nível do neurotransmissor se deu justamente na região cerebral responsável por respostas antidepressivas. 

Praticar atividades físicas também pode ter ação nesse campo, assim como passar tempo ao ar livre. No cérebro, a serotonina estimula o sistema serotoninérgico, relacionado ao humor e bem-estar. Em experimentos com roedores, por exemplo, constatou-se que os animais que fizeram exercícios de baixa intensidade obtiveram aumento de expressão de neurônios dessa região.  

Outra maneira de “dar um up” na serotonina é tentar realizar atividades prazerosas, como ouvir música, sair com os amigos e relembrar momentos felizes. 

Alguns pesquisadores acreditam que mudanças autoinduzidas no humor influenciam a formação de serotonina. “Isso levanta a possibilidade de que a interação entre a síntese de serotonina e o humor possa ser de duas vias, com a serotonina influenciando o humor e o humor influenciando a serotonina”.

Meditação e yoga também são boas alternativas. Essas atividades podem ativar os neurotransmissores que modulam distúrbios psicológicos, como a ansiedade. 

Essas estratégias mostram que o importante é buscar o equilíbrio. Cuidar da alimentação, do corpo e da mente para, assim, obter bem-estar. 

Dicas práticas para uma vida com mais serotonina

  • Busque viver com equilíbrio
  • Tenha uma alimentação balanceada
  • Consuma alimentos ricos em triptofano 
  • Inclua probióticos na dieta
  • Exponha-se ao sol diariamente
  • Pratique exercícios físicos
  • Faça meditação ou yoga
  • Realize atividades prazerosas, como ouvir música
  • Socialize e divirta-se com os amigos
  • Relembre momentos felizes

Porque plano de saúde já não é mais suficiente.

Artigos Relacionados

Como treinar o cérebro

Mente

Como treinar o cérebro para a felicidade? Confira

10/05/2022 • 5 min de leitura

depressão na gravidez

Mente

Depressão na gravidez: relato de Britney Spears traz luz ao problema

18/04/2022 • 6 min de leitura

Mente

Como o estresse pode afetar a saúde do cabelo

29/03/2022 • 5 min de leitura

Mente

Como falar sobre emoções com as crianças

28/03/2022 • 7 min de leitura