Assine nossa newsletter

Flexwork: modelo de trabalho que proporciona equilíbrio e bem-estar

imagem de um computador rosa em cima de uma mesa

O ano de 2020 marcou o início de uma nova era na evolução da cultura das organizações. 

Na virada do milênio, o foco estava no oferecimento de diversas vantagens, que incluíam espaços com jogos, lanches e até sessões de massagem, para compensar longas horas de serviço dentro do escritório. 

Com a pandemia da covid-19, as prioridades mudaram. Agora, os profissionais querem equilibrar trabalho e vida pessoal. E as empresas estão tendo que investir em bem-estar para atrair os melhores talentos.

Nessa nova fase, centrada no colaborador como ser humano, cresce o chamado “flexwork”, modelo de serviço baseado na flexibilidade, assincronia e confiança. 

Flexibilidade é tendência global

A nova realidade é destaque no relatório Global Talent Trends 2022, da rede social LinkedIn. 

Apoiar a flexibilidade no trabalho desponta como medida a ser observada pelas empresas para dar mais qualidade de vida aos funcionários.

Os profissionais mais disputados querem poder definir onde, quando e como trabalham. 

Nesse contexto, se inserem os conceitos de confiança e de assincronia, em que a execução das atividades não está atrelada a horários de expediente ou à supervisão em tempo real. 

“A flexibilidade impulsiona empresas a se moverem do presenteísmo em direção ao desempenho”, assinala o relatório, que traz opiniões de diversos executivos no sentido de que as organizações devem medir os resultados e não o tempo de atividade. 

O estudo pondera que nem todas as funções em uma empresa permitem flexibilidade total, mas que existem alternativas para estender o benefício a todos da equipe.

“As empresas estão oferecendo postos de trabalho divididos (job sharing), turnos diferentes, semanas de trabalho comprimidas e outras formas de programação flexível para garantir que os funcionários possam moldar o trabalho em torno de suas vidas pessoais”.

Vantagens do flexwork para as empresas

O principal efeito positivo da flexibilidade no trabalho está na sensação de bem-estar dos colaboradores

O relatório do LinkedIn aponta que trabalhadores que atuam nesse modelo têm propensão 2,6 vezes maior de relatar que estão felizes. 

Também há maior probabilidade (2,1 vezes) desses mesmos funcionários recomendarem a empresa para outros trabalhadores.

Os números evidenciam que o flexwork tem grande potencial de atrair talentos, principalmente nas gerações Z (nascidos entre 1999 e 2019) e Y/millennials (nascidos entre 1981 e 1998). 

Pesquisa realizada pelo Itaú BBA em 2019 mostrou que os millennials já compõem a maior parte da população brasileira: são 34% da população total, e representam 50% da força de trabalho. Até 2030, os nascidos nessa geração devem ocupar 70% dos postos de trabalho.

Outra vantagem do trabalho flexível está na produtividade. Com os trabalhadores livres para produzirem nos períodos que avaliam ser mais favoráveis, incluindo relógio biológico e compromissos particulares, há maior chance de entregarem bons resultados. 

Dicas para expandir a flexibilidade na empresa

O relatório anual do LinkedIN traz várias dicas para as empresas que desejam dar mais flexibilidade aos colaboradores. 

A principal é focar em resultados e não em horas de trabalho. Metas e prazos devem ser estabelecidos para que as tarefas sejam realizadas com autonomia. 

As empresas devem estabelecer diretrizes para o trabalho remoto e ajudar o colaborador a definir limites.

Isso inclui cuidados para que os membros da equipe que trabalham de casa não sejam ‘esquecidos’ pelos demais e abordagens metodológicas para avaliação de promoções. 

Os trabalhadores também precisam receber orientação para que o trabalho a distância seja prestado de forma saudável

“Sem os parâmetros do clássico dia de trabalho, é importante que as empresas lembrem os funcionários de fazer pausas”.

Outra dica é reduzir o número de reuniões. “Com colaboradores que não estão mais trabalhando de forma síncrona, é hora de encontrar novas maneiras de se comunicar”. 

Ferramentas colaborativas, que propiciam carregar notas e documentos de forma compartilhada, têm sido bastante utilizadas, além do tradicional e-mail, chats e aplicativos de mensagens. 

Promover eventos virtuais também é recomendado para manter as conexões sociais entres os funcionários. 

Outra recomendação para que o trabalho flexível seja bem incorporado à cultura da empresa é ter colaboradores em cargos de chefia atuando nesse modelo


Porque plano de saúde já não é mais suficiente.

Artigos Relacionados

Serie Wecrashed lições empreendedorismo

Felicidade no Trabalho

4 lições de empreendedorismo da série ‘WeCrashed’

24/06/2022 • 5 min de leitura

Pessoa segura caixa com pertences do trabalho

Felicidade no Trabalho

O que é Great Resignation e quais são as causas dessa onda?

10/06/2022 • 5 min de leitura

Felicidade no Trabalho

Como medir a felicidade e o bem-estar no trabalho?

09/06/2022 • 8 min de leitura

Salário Emocional

Felicidade no Trabalho

Salário emocional: os aspectos do trabalho que impactam no bem-estar

07/06/2022 • 5 min de leitura