Assine nossa newsletter

Como saber a hora certa para uma transição de carreira

Mudar de profissão requer autoconhecimento, análise de mercado e planejamento; saiba identificar os sinais de quando só trocar de emprego não basta.

Hora certa para mudar de carreira

A onda de pedidos de demissão mundo afora {também conhecida como Great Resignation} mostrou que as pessoas estão cada vez mais dispostas a abrir mão do emprego em busca de qualidade de vida. 

Nesse processo de reavaliação do que realmente importa, muita gente vai além e chega à conclusão de que, para encontrar a felicidade no trabalho, é preciso mudar de carreira. Mas como saber se essa é a melhor decisão? 

“O trabalho muitas vezes perde o sentido. Nós mudamos, o mercado muda. Essa tomada de consciência, entretanto, demanda muita reflexão”, afirma a psicóloga e orientadora de carreira Adriana Gomes, autora de “Tô Perdido! Mudança e Gestão de Carreira” e “Mudança de Carreira e Transformação da Identidade”.  

Procurar outro emprego ou mudar de carreira?

Antes de pensar em dar uma guinada na vida profissional, é muito importante identificar se o trabalho desperta sentimentos negativos. Ansiedade, falta de motivação, apatia e tédio são alguns deles. 

Estar sempre reclamando, sentir inveja de amigos bem-sucedidos ou manter o emprego apenas pelo salário também podem ser indicativos de que algo precisa mudar.

Mas o que vai ser determinante para uma decisão acertada sobre o que fazer é avaliar se a insatisfação está realmente relacionada com a profissão ou se o problema está apenas no ambiente de trabalho atual. 

“É preciso dar nome para as coisas que não estão boas. Muitas vezes a pessoa está infeliz porque não tem suporte, não tem feedback ou a relação com o gestor é ruim. Então ela começa a se questionar. Mas talvez seja o caso de trocar de emprego, e não de carreira”, destaca a psicóloga. 

Uma alternativa para quem deseja outro posto de trabalho, sem ter que aprender uma nova profissão, é mudar de função dentro da área de formação. Por exemplo, deixar de atuar na área de suporte para trabalhar no setor de programação ou como desenvolvedor em uma mesma empresa de tecnologia ou em outra companhia. 

Como mudar de profissão de forma segura?

Se você já tentou trocar de função dentro de uma mesma empresa {ou até de emprego} e continua insatisfeito, então talvez uma mudança de vida mais significativa possa fazer sentido. Neste caso, é importante ter clareza sobre quatro pilares fundamentais para uma transição de carreira segura:

  1. Autoconhecimento;
  2. Avaliação do mercado;
  3. Planejamento;
  4. Rede de apoio.

Autoconhecimento para uma transição de carreira

Segundo Adriana Gomes, o autoconhecimento é um dos pilares de uma tomada de decisão segura quando alguém cogita mudar de carreira. 

Além de medir o bem-estar no trabalho, vale a pena avaliar todo o histórico de vida. Relembrar a trajetória pessoal com um olhar atento ao período que vai da definição da profissão até a progressão ao posto de trabalho atual permite repensar escolhas, além de reavivar sonhos e paixões. 

Uma das principais perguntas a serem feitas é: “O que te move?”. Para muitos, é mais fácil definir o que não motiva ou não traz propósitos significativos antes de encontrar as respostas certas. 

Sentir-se desconectado de uma vocação, constatar que deixou um talento ou habilidade em segundo plano, ou rememorar outros caminhos profissionais nos quais já se imaginou são algumas reflexões possíveis.

Explorar possibilidades para mudar de carreira

Antes de uma mudança de carreira, explore o mercado 

Para definir um novo campo de atuação, é também primordial uma análise de mercado, considerado o segundo pilar de uma transição de carreira segura. 

“É preciso estudar muito bem sobre como será possível contribuir nessa nova área. Já vi pessoas usarem todas as economias para abrir uma franquia, sem terem preparo e perfil para isso”, exemplifica a psicóloga Adriana Gomes. 

O que levar em conta antes de migrar de carreira?

  • Avalie se a área desejada está em ascensão ou saturada;
  • Pesquise se há vagas disponíveis ou nichos a serem explorados;
  • Liste as habilidades requeridas para postos de trabalho de interesse;
  • Verifique quais competências já possui e quais precisa desenvolver;
  • Relacione cursos que podem ser feitos;
  • Planeje formas de construir um portfólio, quando necessário;
  • Analise os modelos de trabalho existentes no novo campo de trabalho: é necessário ter o próprio negócio? É possível ser freelancer? Precisa mudar de cidade ou pode trabalhar remotamente?
  • Converse com pessoas da área;
  • Busque aumentar o network, incluindo pessoas de ramos próximos na rede de relacionamento;
  • Considere buscar ajuda profissional por meio de mentoria ou orientação de carreira;
  • Reconstrua sua imagem pessoal nas redes, sobretudo no LinkedIn. 

Como fazer transição de carreira: planejamento é essencial

Para uma transição de carreira bem sucedida, é recomendado muito planejamento. 

Se houver uma crise no setor de interesse, por exemplo, o ideal é aguardar uma época mais favorável.

O início da transição pode ser definido em um plano com metas de curto, médio e longo prazo. Recomenda-se ainda fazer uma reserva financeira, considerando esses objetivos.  

Algumas pessoas podem preferir trabalhar com cenários, deixando para pedir demissão do emprego atual apenas quando surgir uma oportunidade no outro setor. 

Mas, para isso, é preciso participar de processos seletivos e de entrevistas. Nesses casos, a dica é mostrar como sua experiência anterior pode contribuir para um bom desempenho na vaga desejada.

Rede de apoio 

Para quem vai começar totalmente do zero, é preciso coragem, perseverança, resiliência e humildade. Seja para empreender ou para assumir postos em hierarquia inferior ao que ocupava até então.

“A pessoa tem que saber que pode não ser simples, nem rápido. Vivemos num mundo de imediatismo, mas é preciso alinhar expectativas”, lembra Adriana Gomes. 

Contar com uma rede de apoio emocional, incluindo membros da família e amigos, também ajuda a encarar os desafios com mais determinação. 

“Muitos dilemas podem aparecer e ter quem te ajude e motiva, favorece a jornada. A dica é dar o melhor de si e estar disposto a aprender com todas as experiências”, conta Adriana. 


Porque plano de saúde já não é mais suficiente.

Artigos Relacionados

Confiança no trabalho

Felicidade no Trabalho

Como ser mais confiante no trabalho e na vida

01/08/2022 • 6 min de leitura

Dois crachás com o rosto do personagem Mark Scout, de Severance, sobre um fundo laranja

Felicidade no Trabalho

O que a série ‘Severance’ ensina sobre work-life balance

15/07/2022 • 7 min de leitura

Brene-Brown-coragem-imperfeito

Felicidade no Trabalho

A coragem de ser imperfeito para liderar: as lições de Brené Brown

04/07/2022 • 5 min de leitura

Duas mãos segurando balões de mensagem do WhatsApp

Felicidade no Trabalho

Como usar Whatsapp Business para ter mais saúde no trabalho

30/06/2022 • 7 min de leitura