Assine nossa newsletter

Dia Mundial da Audição: saiba como manter os ouvidos saudáveis

Nas reuniões virtuais de trabalho, na caminhada no parque, em viagens de ônibus ou de avião. A todo momento, vemos alguém utilizando fones de ouvido para se comunicar, escutar música ou assistir a vídeos. 

Desde o início da pandemia da covid-19, tem sido registrado aumento de mais de 20% na venda desses dispositivos, segundo levantamento da consultoria IDC Brasil. 

O uso mais frequente dos fones chama a atenção para cuidados a serem adotados com o intuito de prevenir problemas auditivos.  

Neste Dia Mundial da Audição (3 de março), preparamos algumas dicas para você preservar a saúde dos ouvidos.

Mantenha os ouvidos limpos e secos

Em contato com a água, seja na piscina, seja durante o banho, as orelhas tendem a ficar umedecidas, o que pode facilitar a proliferação de microorganismos. Para evitar inflamações, é muito importante secá-las com uma toalha limpa. 

“Nós só devemos limpar a parte de fora da orelha (pavilhão auricular) e, no máximo, a entrada do canal auditivo. O ideal é limpar após o banho, passando a toalha envolta na pontinha do dedo mindinho”, ensina a fonoaudióloga Aline Morais, da comunidade de saúde da Alice

A profissional explica que, dessa forma, há menor risco de ser empurrada cera para a região interna, o que poderia ocasionar a formação de um tampão. 

As hastes flexíveis de algodão, se utilizadas incorretamente, podem provocar esse entupimento ou até acidentes na região dos tímpanos, responsáveis por receber e amplificar as ondas sonoras.

“As hastes flexíveis de algodão devem percorrer apenas as curvinhas das orelhas e a borda do canal auditivo”, alerta.

Quando a limpeza externa não é suficiente e a sensação de água no ouvido se mantém, podem ser feitos alguns movimentos para facilitar a saída do líquido. 

“Para ajudar nesse processo, você pode inclinar a cabeça para o lado e dar uma balançada para frente e para trás”, recomenda a fonoaudióloga. 

Quando há muita cera na região, a água pode demorar mais a escorrer ou a evaporar. Se a sensação for muito incômoda e por tempo prolongado, procure seu Time de Saúde.

Use os fones de ouvido no volume certo

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), uma em cada quatro pessoas viverá com algum grau de perda auditiva até 2050. A maior parte dos casos está relacionada a volumes excessivos.  

Em ambientes com amplificadores em alta potência ou ao utilizar fones, o ouvinte deve se atentar para a intensidade do som e o tempo de exposição. 

“Se você usar um fone no volume de 85 dB, pode ficar oito horas ouvindo, sem ter o risco de prejudicar a audição. Caso esse som aumente 3 dB, o tempo cai pela metade, ou seja, o tempo máximo recomendado passa a ser de quatro horas”, explica a fonoaudióloga Aline Morais.

Outra dica é usar fones que isolem o som externo. Assim, não será necessário aumentar o volume do acessório para competir com o barulho do ambiente.

Higienizar os dispositivos com frequência e evitar compartilhá-los com outras pessoas são medidas também recomendadas para evitar a transmissão de fungos ou bactérias.

Isso vale especialmente para os fones de inserção, ou seja, aqueles que entram no canal auditivo.

Proteja suas orelhas em ambientes com muito ruído

Todos os dias estamos expostos a sons e ruídos de diferentes tipos: desde um sussurro baixo vindo de alguém próximo até o barulho de um avião decolando. 

Conversas, sons da televisão ou até a vibração de secadores de cabelo costumam se propagar em níveis seguros. 

Mas se tornam prejudiciais quando atingem volumes muito altos e duradouros ou quando se somam a outros ruídos fortes, mesmo por um breve período.

De acordo com o Instituto Nacional de Surdez dos Estados Unidos, essas condições podem danificar estruturas sensíveis da orelha interna e causar perda auditiva induzida por ruído (PAIR).

A dificuldade para ouvir pode ser imediata ou levar muito tempo para ser percebida. Em alguns casos, é temporária e, em outros, permanente. Pode ainda afetar uma orelha ou as duas.

Segundo o Ministério da Saúde, quando a exposição ao ruído ocorre de forma súbita e muito intensa, também pode ocorrer trauma acústico, lesando diversas estruturas do sistema auditivo.

Em locais com ruídos constantes, a recomendação é utilizar protetores auriculares. Existem diversos modelos e, em determinadas profissões, devem ser fornecidos equipamentos específicos.  

Os protetores ajudam a prevenir outros problemas de saúde. “Além de causar zumbido e perda auditiva, mesmo que não seja muito alto, o ruído constante pode alterar os níveis de cortisol (hormônio do estresse), causando irritabilidade, insônia e até problemas cardiovasculares”, alerta a fonoaudióloga Aline Morais. 

Faça pausas em locais silenciosos

Quem trabalha em lugares muito barulhentos deve seguir limites de tolerância relacionados ao tempo de exposição, conforme o nível do ruído. 

As pausas em ambientes silenciosos são extremamente importantes, recomendação que vale para qualquer pessoa. 

“A audição é um sentido que não descansa, mesmo quando dormimos. Apesar de não ser de forma consciente, ouvimos. Então, o silêncio é fundamental para dar uma pausa na estimulação constante do sistema auditivo”, frisa Aline Morais, que é mestre em Ciências da Reabilitação pela Universidade de São Paulo (USP).

Não deixe para tratar problemas de audição tarde demais

A perda de audição pode ser temporária ou permanente. Também pode ocorrer em diferentes graus. Quanto mais cedo for identificada, maior a chance de reabilitação. 

Estudo da revista científica Lancet destaca que a perda auditiva afeta a linguagem falada, o que pode prejudicar a compreensão e o desenvolvimento, além de trazer consequências negativas para o bem-estar social.

Os pesquisadores estimam que até 2050 quase dois bilhões e meio de pessoas sofrerão redução na capacidade de ouvir. “À medida que as populações envelhecem, o número de pessoas com perda auditiva aumentará”.

A publicação enfatiza ainda que a perda auditiva não reabilitada é o terceiro fator de risco para o desenvolvimento de demências.

“Estudos mostram que adultos e idosos com perda de audição e que não usam aparelho auditivo apresentam piores desempenhos em testes de atenção e memória comparados àqueles que fazem o uso adequado”, acrescenta Aline Morais.

Além dos aparelhos auditivos, são apontadas como medidas preventivas a triagem infantil, o tratamento adequado de inflamações como otites e meningites, além de implantes cocleares. 

Todos os anos, em 3 de março, a Organização Mundial da Saúde promove campanha pelo Dia Mundial da Audição. Em 2022, o objetivo é fazer com que as pessoas se conscientizem sobre os cuidados necessários durante o ato de ouvir para manterem uma boa audição ao longo da vida. 

Como cuidar da sua audição

1- Limpeza

Seque as orelhas com uma toalha limpa. Evite utilizar hastes flexíveis, principalmente no canal auditivo. 

2- Fones de ouvido

Use os fones de ouvido em volume e tempo de exposição adequados. Higienize esse acessório e evite compartilhá-lo com outras pessoas. 

3 – Protetores

Em locais com muitos ruídos, utilize tampões ou outros protetores auriculares. 

4 – Pausas

Sempre que possível garanta um pouco de silêncio aos seus ouvidos para reduzir a quantidade de estímulos que chegam até eles. 

5 – Prevenção

Caso sinta dor ou perceba que não está ouvindo bem, procure o seu Time de Saúde. Quanto mais cedo os problemas auditivos são identificados, maiores as chances de reabilitação. 

Explore estas Tags

saude

Porque plano de saúde já não é mais suficiente.

Artigos Relacionados

Mãos seguram halteres

Corpo

Treino para mulheres: ganho de músculos faz muito bem

20/06/2022 • 5 min de leitura

Como Parar de Fumar

Corpo

Como parar de fumar? Dicas e programas de cessação do tabagismo 

31/05/2022 • 7 min de leitura

criança dançando ballet

Corpo

Sedentarismo infantil: como estimular a criança a se movimentar?

22/04/2022 • 8 min de leitura

Corpo

Os benefícios da caminhada para o corpo e a mente

22/03/2022 • 5 min de leitura