Assine nossa newsletter

Como funciona a CoronaVac e qual a sua eficácia

A CoronaVac, vacina do laboratório chinês Sinovac Biotech, é produzida no Brasil pelo Instituto Butantan, de São Paulo, e é feita a partir do vírus inativado.

Essa tecnologia molecular é a mesma utilizada em outras vacinas, como a da gripe, a da poliomielite e da hepatite. 

O vírus é cultivado e multiplicado numa cultura de células e depois passa por um processo de inativação por meio do calor ou de produtos químicos. Ao receber a vacina, o organismo entra em contato com as partes “mortas” ou inativadas do vírus.

Essas partes são incapazes de provocar a doença; apenas são utilizadas para o reconhecimento do nosso sistema imunológico, que começa a gerar os anticorpos necessários para combater o coronavírus. 

As células, ao encontrarem as partes inativadas do vírus, ativam os linfócitos, responsáveis pela produção de anticorpos, que se ligam às partes do vírus e impedem a sua multiplicação e infecção de outras células humanas. 

A produção de anticorpos começa a partir do momento que a vacina é aplicada, mas demanda um tempo até que o organismo fique protegido da doença.

Por isso, é importante manter os cuidados e a higiene mesmo após a aplicação da CoronaVac como forma de redução de chances de infecção. 

Outro aspecto fundamental é a necessidade da dose de reforço, ou seja, da segunda dose da vacina, que é responsável por ajustar a quantidade de anticorpos necessárias para uma resposta imune eficiente em relação à doença.

De acordo com os testes clínicos, o intervalo entre a primeira e a segunda dose deve ser de 14 a 28 dias. 

Eficácia, testes e efeitos adverso

A eficácia geral da CoronaVac é 50,38%, ou seja, os vacinados têm 50,38% menos risco de adoecer. Ainda, olhando para os resultados dos testes de forma mais detalhada, a vacina mostrou-se eficiente em 100% dos casos moderados e 78% eficaz nos casos leves de covid-19.

Em resumo, a aplicação das duas doses da vacina protege das variações graves e da internação em decorrência da doença. 

No Brasil, a vacina foi testada em mais de 12 mil voluntários entre 18 e 59 anos e não apresentou efeitos colaterais graves. Apenas 35% dos voluntários apresentaram algum tipo de reação adversa leve, como dor no local e febre baixa.

Estudos sobre o imunizante

CoronaVac e crianças

Um estudo publicado pela revista acadêmica The Lancet, realizado na China, demonstrou que o imunizante é seguro e produz resposta imune em crianças a partir dos três anos de idade.

O estudo está em andamento, na terceira fase dos testes clínicos, e avaliou os dados de mais de 500 voluntários.

CoronaVac e efetividade em idosos no Brasil

Uma pesquisa preliminar realizada pelo grupo Vaccine Effectiveness in Brazil Against COVID-19 (Vebra Covid-19) apontou que a efetividade da CoronaVac contra a covid-19 possui variações e diminui com a idade. Na faixa etária de idosos, entre 70 e 80 anos, o imunizante não apresenta proteção com apenas uma dose.

Após a segunda dose, a vacina previne, em média, 42% dos casos sintomáticos leves e moderados após 14 dias da aplicação. Entre pessoas de 70 a 74 anos, a efetividade foi de 61,8%; e na faixa etária de 75 a 79 anos foi de 49%. Para idosos acima de 80 anos, a efetividade foi de 28%. 

O estudo analisou os dados de 15.900 pessoas em São Paulo,  com idade média de 76 anos, que estavam com suspeita ou diagnosticadas com covid-19.  O teste ainda não foi revisado por outros cientistas nem publicado em uma revista científica.

O grupo de pesquisadores continua analisando a efetividade do imunizante em um segundo estudo, que deve avaliar a capacidade da vacina em evitar hospitalizações e óbitos por covid-19 entre idosos.

CoronaVac e efetividade no Chile

Estudo realizado com 10,5 milhões de pessoas acima de 16 anos no Chile apontou que a CoronaVac tem a efetividade de 65% contra casos sintomáticos leves, previne 87% das hospitalizações, além de 90% das entradas em UTIs e 87% dos óbitos. 

CoronaVac e efetividade na Indonésia

Pesquisa realizada com profissionais da saúde na Indonésia apontou que a CoronaVac apresentou uma taxa de efetividade de 98% contra mortes e de 96% contra hospitalizações por covid-19.  

Leia mais: Vacinas contra covid-19: Por que você precisa se vacinar?

Explore estas Tags

covid-19 saude

Porque plano de saúde já não é mais suficiente.

Artigos Relacionados

Ilustração destaca o pico de um pato com o formato do espéculo usado no exame do Papanicolau

Corpo

Com qual frequência deve-se fazer o exame Papanicolau?

10/08/2022 • 10 min de leitura

Ilustração destaca um foguete entre planetas e astros, simbolizando o óvulo na saída do ovário.

Corpo

Ciclo menstrual: o que é e como calcular?

10/08/2022 • 14 min de leitura

Ilustração mostra pessoa escalando montanha

Corpo

Esportes de alto impacto e treinos vigorosos: quais cuidados tomar?

08/08/2022 • 9 min de leitura

Ilustração de braço com relógio que mostra imagem do coração

Corpo

O que é treino HIIT e para quem ele é indicado?

29/07/2022 • 9 min de leitura