Assine nossa newsletter

Rituais de ano novo: os benefícios de uma boa faxina

São muitos os rituais de fim de ano: da cor da roupa escolhida até as sete ondinhas que devem ser puladas por quem está próximo do mar. 

Não importa a crença,  se tem algo que muita gente compartilha nessa época do ano é o desejo por um novo começo. Afinal, aquilo que está por vir é visto como um caderno em branco: são inúmeras as oportunidades para conquistar.

Existe uma tradição específica, contudo, que tem servido à muita gente e pode te ajudar. 

Do outro lado do mundo, a cultura anciã japonesa nos ensina o quanto uma boa faxina é essencial para preparar a casa – e o espírito – para a chegada daquilo que realmente importa para cada um de nós. 

O “Oosouji” é um ritual purificador que pede a limpeza completa das casas, templos, locais de trabalho e de todas as searas da vida. 

A tradição, que remonta os séculos passados, tangibiliza por meio da limpeza dos espaços que ocupamos toda aquela vontade de deixar para trás aquilo que não nos cabe, abrindo espaço na nossa vida para o que deveria ser a nossa prioridade. 

Ao abrir as gavetas, armários e mudar os móveis de lugar, é como se estivéssemos observando atentamente cada aspecto da nossa vida. 

Um ponto essencial no ritual, contudo, não é apenas doar ou jogar fora aquilo que não julgamos mais necessário. 

Pelo contrário, faz parte do processo olhar com gratidão por tudo aquilo que vivemos e por todos os aprendizados gerados por cada situação. 

O ano novo como uma oportunidade para as mudanças

E é justamente esse olhar cuidadoso para o processo individual que nos ajuda a conquistar as transformações que almejamos. 

Não é raro que o desejo de ano novo seja uma mudança completa em tudo o que somos. 

De metas de saúde até conquistas profissionais, a nossa “lista” de resoluções está sempre recheada de coisas que precisamos fazer do zero. 

Mas engana-se quem pensa que as grandes mudanças só acontecem por meio da disrupção completa.

É no passo a passo, no dia a dia, nos pequenos hábitos e nas micro decisões que, de fato, construímos o pavimento que nos leva a uma transformação. 

Ao entendermos que a mudança ocorre como um ciclo, e não algo linear, compreendemos o que nos ajuda a ter consistência naquilo que priorizamos como importante para nós. 

Para não esquecermos no ano que vai chegar

Deixe de lado as grandes mudanças. Foque nos pequenos hábitos;

  • Entenda o que é a motivação para você, o que você reconhece como prioridade para o seu novo ciclo;
  • Você pode, sim, ter grandes objetivos. Mas seja capaz de destrinchá-los em pequenas metas factíveis para se chegar lá;
  • Entenda que você vai precisar percorrer um caminho para a sua transformação, e que você deve está comprometido com essa trajetória, e não apenas com a transformação em si;
  • Olhe com gentileza por tudo que você já construiu. Reconheça os seus aprendizados, o que você tem feito de bom e o que pode evoluir.

Explore estas Tags

comportamento

Porque plano de saúde já não é mais suficiente.

Artigos Relacionados

Imagem da enfermeira Rachel Haddock Lobo sentada em frente a uma mesa, com o rosto virado para a câmera. Rachel usa uma roupa branca, com um véu na cabeça, também branco. As mãos dela estão sob um papel.

Comportamento

Rachel Haddock Lobo: a enfermeira que se dedicou a ensinar

22/06/2022 • 6 min de leitura

Retrato da enfermeira Anna Nery

Comportamento

Saiba quem foi Anna Nery, grande ícone da enfermagem do Brasil

11/05/2022 • 6 min de leitura

criança com nariz escorrendo

Comportamento

Coriza em crianças: saiba como aliviar a congestão nasal

04/05/2022 • 5 min de leitura

mãos pés e uma boca de criança

Comportamento

Mão-pé-boca: quais são os sintomas e como prevenir?

26/04/2022 • 6 min de leitura